Postagens

A mudança do sábado para o domingo (Rev. Palmer Robertson)

I. O SÁBADO FOI ESTABELECIDO NA CRIAÇÃO DO MUNDO:

1. O Sábado é um dos elementos da aliança da criação
2. As razões para o sábado são:
2.1. Êxodo 20. 8-11: a Criação
2.2. Deuteronômio: 5. 12-15: a Redenção
2.3. Marcos 2.27: o Homem

II. A RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO É UM EVENTO TÃO SIGNIFICATIVO QUANTO A CRIAÇÃO DO MUNDO, PORQUE ELA É A PRIMÍCIA DA NOVA CRIAÇÃO.

1. Enquanto no Antigo Testamento temos:

Trabalho, Trabalho, Trabalho, Trabalho, Trabalho, Trabalho,  e finalmente, descanso:

2. No Novo Testamento temos:

Descanso, Trabalho, Trabalho, Trabalho, Trabalho, Trabalho, Trabalho.

Trata-se de um novo paradigma. Mas como ele foi construído?

III. SETE VEZES OU JESUS APARECEU AOS DISCÍPULOS NO PRIMEIRO DIA DA SEMANA OU OS CRISTÃOS ESTAVAM REUNIDOS NO PRIMEIRO DIA DA SEMANA.

1. Jesus ressuscitou no primeiro dia
2. Jesus encontrou com os seus discípulos no Primeiro dia da semana
3. Jesus esperou uma semana para encontrar-se com Tomé. Ele estava construindo um novo paradigma
4. Jesus apare…

Capítulo 15: Da crise ao milagre (1960-1973) - Fichamento

1.Segundo o PAEG, a principal causa da inflação era o excesso de demanda, dada em função da tendência ao déficit público, da elevada propensão a consumir e também da falta de controle sobre a expansão do crédito. Assim, a política implementada visava diminuir os impactos negativos da inflação através da correção monetária e controlar de forma gradualista a aceleração inflacionária e, assim, obter ganhos paulatinos, baixando pouco a pouco o patamar inflacionário. 2.As principais dificuldades geradas pelo processo inflacionário eram: i) inflação conjugada à Lei de Usura, que desestimulava a canalização de poupança para o sistema financeiro; ii) a Lei do inquilinato numa situação inflacionária constituía-se em forte desestímulo à aquisição de imóveis e, conseqüentemente à construção civil; iii) a desordem tributária, dada a ausência de correção monetária, no caso dos débitos fiscais, estimulava o atraso de pagamentos e, no caso dos ativos e do patrimônio das empresas, levava à tributação …

A Ciência da Teologia Dogmática - Herman Bavinck

O Estudo sistemático das verdades da fé cristã é descrito por muitos termos diferentes. A designação "dogmática" tem a vantagem de fixar esse estudo no ensino normativo ou dogmas da igreja. Os dogmas são simplesmente aquelas verdades devidamente estabelecidas na Escritura como coisas que devem ser cridas. Uma verdade confessada pela igreja não é um dogma porque a igreja a reconhece, mas unicamente porque ela repousa sobre a autoridade de Deus. Não obstante, o dogma religioso é sempre uma combinação da autoridade divina com a confissão da igreja. Os dogmas são verdades reconhecidas por um grupo específico. Embora os dogmas da igreja tenham autoridade somente se forem realmente verdades de Deus, o ensino da igreja nunca é idêntico à verdade divina em si. Ao mesmo tempo, é um erro desvalorizar a maior parte dos dogmas como aberrações inconstantes da pura essência do evangelho não-dogmático, como fazem alguns teólogos modernos. A oposição ao dogma não é uma objeção geral ao dog…

Relatório de Leitura: Pregação e Pregadores - Martyn Lloyd-Jones

Introdução
O objetivo do livro de Martyn Lloyd-Jones, denominado “Pregação e Pregadores”, é apresentar a sua contribuição acerca do tema. Para isso, o autor faz uso de uma série de textos bíblicos, além de considerações pessoais, citações de casos verídicos e de eventos históricos que envolvem os principais nome da Igreja cristã quanto à pregação da palavra. O livro está dividido em 16 capítulos e são resultado de uma série de preleções que o autor fez no inicio dos anos de 1970. Mesmo sendo proferida a cerca de 47 anos atrás, a obra parece demonstrar componentes que chamam a atenção e possuem grande relevância para os dias atuais. Assim, o presente relatório de leitura procura fazer uma breve análise destes 16 capítulos. Ao final, estão as conclusões do trabalho.

Relatório de Leitura
Os capítulos 1 e 2 tratam da primazia da pregação. No primeiro o autor demonstra, com base nas Escrituras, que a pregação é principal tarefa da Igreja. Tal função é reforçada no capítulo seguinte demonstra-se…

A CRISE DE 1962 A 1967 E O MILAGRE ECONÔMICO

Trabalho elaborado como requisito parcial para composição da N-2, na disciplina de Economia Brasileira Contemporânea I, ministrada pelo professor: Mâncio Lima Cordeiro em Março de 2013.
1. INTRODUÇÃO               Este trabalho tem como objetivo abordar alguns aspectos da crises de 1962 à 1967 e o milagre econômico. Para tanto, descreve-se primeiramente o período de 1962, as heranças deixadas pelo Plano de Metas e instabilidade política do período. Depois se faz uma abordagem da política econômica do início do período militar, dando ênfase ao Programa de Ação Econômica do Governo – PAEG, e suas conseqüências para a economia. Em seguida, passa-se a falar sobre o milagre econômico, suas causas, características e conseqüências para o quadro econômico e social do país. Ao final, tem-se uma breve conclusão do assunto abordado.
2. A CRISE DE 1962               O período de Juscelino Kubitschek acabou deixando muitas heranças negativas para o período seguinte. Dentre elas, destacam-se a inflação…

As principais questões na evolução do pensamento econômico em poucas linhas

As principais questões na evolução do pensamento econômico foram: o que determina a riqueza e qual o objeto da economia, ou sua função. Os mercantilistas entendiam que o acúmulo de metais preciosos como o ouro e prata é que definiria a riqueza de uma nação. Assim, defendiam o superávit no balanço de pagamentos, incentivando as exportações e a intervenção estatal na economia.

Os Fisiocratas discordavam dos mercantilistas e diziam que a fonte da riqueza estava na terra. Também defendiam a não intervenção do Estado na economia, considerando a existência de uma lei natural. É nesta escola que surge a expressão laissez-faire (deixai fazer, deixai passar).

Smith afirmou que o que determina o valor da mercadoria é o trabalho contido nela. Em seu conceito de economia afirmou que esta deve ajudar no enriquecimento do soberano.

Já Ricardo partiu da teoria do valor-trabalho, mas considerou que a economia deve se preocupar com a distribuição da riqueza.

Por fim, Marz utiliza a teoria do valor-tra…

Relatório de Leitura: O Alicerce da Autoridade Bíblica

BOICE, James Montgomery. O Alicerce da Autoridade Bíblica. 2ª Ed. São Paulo: Vida, 1989, 196 p. 
Introdução
O objetivo do livro organizado por James Montgomery Boice, denominado “O Alicerce da Autoridade Bíblica”, é demonstrar que este “alicerce” é a inerrância bíblica, sendo que esta alcança não só as matérias relaciondadas a salvação e a ética, mas também a questões científicas e históricas. Para tanto, o livro é dividido em 06 artigos, além de uma introdução. Ao final, encontra-se como apêndice a Declaração de Chicago sobre a inerrância da Bíblia, a qual expressa o posicionamento dos autores sobre o assunto A introdução do livro é dada Francis A. Schaeffer, cujo título é “Deus dá ao seu povo uma segunda oportunidade”. Em dado momento histórico,  o autor mostra que o controle dos seminários pelos teólogos liberais causou a impregnação nas denominações tradicionais desta teologia. Nesse quadro, muitos abandonaram estas denominações (caso do autor do artigo) e outros resolveram se manter…